Consulta de Baixa Visão

O termo deficiência visual refere-se a uma situação irreversível de diminuição da resposta visual, em virtude de causas congénitas ou hereditárias, mesmo após tratamento clínico e/ou cirúrgico e uso de correcção refractiva convencional.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) preocupada com a dificuldade de atribuição de apoios e subsidios, baseou-se num critério clinico para objectivar a definição de deficiencia visual. Assim, um individuo pode ser considerado deficiente visual tendo em conta a avaliação a acuidade visual (AV) e/ou restrição do campo visual (CV).

Em Portugal e na maior parte dos paises europeus a baixa-visão é normalmente dividida em :

  • moderada ou parcial: AV, no melhor olho e após melhor correcção óptica convencional, entre 1/10 e 3/10 sem alteração de CV;
  • severa ou residual: AV inferior a 1/10 e CV inferior ou igual a 20º.

Apesar de em Portugal ser considerada a definição internacional da OMS sobre deficiência visual, a legislação existente para efeitos médico-legais e assistenciais ainda não foi actualizada. Deste modo, em Portugal e de acordo com o Decreto Lei nº 49331/69 de 28/10, são considerados indiviudos cegos legais aqueles cuja AV após correcção convencional não é superior a 1/10 e/ou cujo CV é inferior ou igual a 20º.

Um indivíduo com patologia visual e com baixa visão apresenta um esforço acrescido ao usar e rentabilizar os residuos visuais nas tarefas do dia-a-dia. Deste modo, a baixa visão não se deve definir apenas pela AV e CV mas também pela eficiência visual e visão funcional.

Do ponto de vistal funcional, sempre que há perda de visão suficientemente grave que interfira com a realização das tarefas/actividades da vida diária, e não sendo possivel a sua correcção com lentes convencionais ou lentes de contacto, é necessário intervir através da reabilitação e utilização de auxiliares técnicos.

Assim, com a reabilitação ortóptica integrada na consulta de Sub-visão, temos como objectivos melhorar a utilização dos resiuduos visuais dos individuos, atenuando a fadiga visual e o handicap, promovendo e facilitando a autonomia e integração na sociedade.