Cirurgia do Cristalino

Este é o tipo de cirurgia refractiva mais indicado para pacientes com elevado grau de ametropia (miopia, astigmatismo, hipermetropia) e idade superior a 45/50 anos.

Consiste em, através de uma micro-incisão, remover todo o conteúdo do cristalino, por facoemulsificação e, implantar no seu interior, uma lente intra-ocular, que corrige o defeito refractivo.

Neste grupo etário, o cristalino perdeu já grande parte da sua função, que consiste na capacidade de acomodar (focar para perto).

Por outro lado, mesmo que não exista ainda catarata (opacificação do cristalino), este encontra-se já num processo de esclerose, a qual provoca instabilidade refractiva (modificações rápidas da refracção) e deterioração da qualidade de visão.

Assim, o cristalino, nestes grupos etários, é uma lente que já perdeu a função, é factor de instabilidade refractiva e de degradação da qualidade de visão, pelo que se justifica substituí-lo por um cristalino artificial (lente intra-ocular) que corrige a visão sem correcção e melhora a sua qualidade.

Dependendo das condições de cada caso concreto, a lente a implantar poderá ser monofocal (corrigindo apenas a visão para longe) ou multifocal (corrigindo a visão para longe e para perto).

Esta cirurgia é realizada com anestesia tópica, através da aplicação de gotas, é indolor e, efectuada em regime ambulatório. Não é necessário dar pontos de sutura e o olho não necessita de ser tapado após a cirurgia.

Em regra consegue-se uma recuperação total da visão sem correcção, em menos de 24 horas.

Consultas

Exames

Acompanhamento

On-Line

Temos 37 visitantes em linha